Os Transtornos do Impulso, ou a impulsividade excessiva

13/07/2017

O que são os chamados Transtornos do Impulso? sou colaborador no Hospital das Clínicas onde são atendidos pacientes que sofrem de impulsividade desmedida.

A impulsividade e suas manifestações clinicas são estudadas pela psiquiatria desde Esquirol, psiquiatra francês do século XIX. Provavelmente o primeiro autor a ter esquematizado um enquadre clínico para os transtornos do controle do impulso, nominado por ele de Monomania. A Monomania era utilizado por seu criador para descrever todos os pacientes que apresentavam um transtorno da mente muito especifico, que em todas outras áreas se encontrava intacta. Ele dividiu essa síndrome em três subtipos: delirante, que corresponderia hoje aos transtornos delirantes crônicos; raciocinante, cuja descrição retrata o que hoje se reconhece como transtorno obsessivo compulsivo; e instintiva que reflete o conceito atual de transtornos do impulso, com descrições de casos que lembram o transtorno explosivo intermitente e as dependências comportamentais como o transtorno do jogo e as compras compulsivas. O conceito de monomania foi abandonado por ser abrangente demais, pois reunia ao mesmo tempo síndromes psicóticas e não psicóticas.

Para se entender o fenômeno impulsivo é essencial compreender a sua natureza multidimensional, devida a heterogeneidade dos comportamentos impulsivos, pois cada um deles manifesta um funcionamento próprio do qual decorre a falta de controle. Observa-se que segundo o transtorno, ou grupo diagnóstico em questão, determinada dimensão impulsiva estaria alterada, ou por falha de um freio em particular, ou pelo prevalecimento de um impulso. Nesse modelo diagnóstico, as dimensões a serem consideradas são as seguintes:

Instabilidade Afetiva: Deficiência de freio a nível afetivo. Dentro da qual enquadram-se, por exemplo, o transtorno de personalidade borderline e os transtornos do espectro bipolar.

Falhas Cognitivas: Instabilidade ou dificuldade de atenção, disfunções executivas ou inteligência comprometida. O exemplo mais claro é o do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade.

Deficiência Empática: Síndromes em que se denota uma aquisição defasada do código de valores sociais, como no transtorno antissocial de personalidade.

Impulsividade Hedônica e Desejo: Transtornos relacionados ao uso de substâncias e dependências comportamentais, onde se destacam uma voracidade hedônica e um comportamento aditivo.

Impulsividade Agressiva: Caracteriza as síndromes que apresentam um ímpeto agressivo descontrolado, manifesto por heteroagressão ou autoagressão. Um exemplo paradigmático é o transtorno explosivo intermitente. (TAVARES et al., 2015)

Referência: TAVARES, Hermano et al. Psiquiatria, Saúde Mental e a Clínica da Impulsividade, São Paulo: Manole, 2015. (p7)

Arthur Régis Dubrule

Crp: 06/132300