Entrevista Portal UOL - Relacionamentos

01/09/2017

O tema é relacionamentos e a comunicação entre os parceiros.

1.Há assuntos que os casais normalmente não conversam entre si e acaba gerando discussões no futuro? Quais são esses assuntos? 

Algumas pesquisas recentes mostram que em grandes metrópoles como a de São Paulo, os casais desenvolvem pouca intimidade em função da rotina muito corrida. Ao focar muito nas suas carreiras e vivendo num ritmo desenfreado de uma cidade que não para, pouco tempo sobra para os casais passarem tempo juntos e deixarem a intimidade crescer. Portanto, assuntos que geram maior desconforto e que demandam uma confiança maior do casal, tendem a não serem discutidos, ou protelados. O tema específico dos assuntos vai variar de pessoa para pessoa, porém alguns exemplos são: preferências sexuais, desejo de ter ou não ter filhos, o lugar que o relacionamento ocupa na vida da pessoa e o quanto ela quer comprometer-se e investir-se emocionalmente no mesmo.

2. É preciso abordar esses assuntos em qualquer momento do relacionamento? Ou há fases?

Não existe receita de bolo para que um relacionamento dê certo, porém, aquele velho clichê de que a comunicação é o que importa realmente faz sentido. A questão mais importante é que a comunicação seja frutífera: alguns casais brigam o tempo todo, mas conseguem resolver as suas diferenças e falar abertamente sobre o que os incomoda e assim os elogios e as qualidades ganham em sinceridade e valor; outros casais podem não brigar jamais, porém também não verbalizam o que incomoda e deixam assim a situação piorar gradativa e sorrateiramente até que se torne insustentável. A fase ideal para se discutir um assunto é na hora que ele ocorre. Assim não deixe para reclamar com o seu marido que ele não lhe deu atenção naquela festa do amigo dele que aconteceu na semana passada, ele possivelmente não vai lembrar do ocorrido e principalmente vai ser difícil fazer algo a respeito retroativamente. Seja claro, explique exatamente que atitudes incomodam e coloque alternativas de comportamento que você gostaria de ver, mas também se comprometa em mudar algo seu, todo contrato tem que ser justo para ambas as partes.

3. Quais são os maiores motivos de brigas entre os casais?

Os motivos de brigas entre casais mais comuns são: o ciúme, uma comunicação falha, traços de personalidade controladora ou submissa, outras pessoas próximas invasivas, etc.

4. Caso haja desentendimento sobre esses assuntos, o que o casal pode fazer para tentar se ajustar um ao outro? É preciso se ajustar um ao outro?

Para entender o que está causando o desentendimento é preciso olhar para si mesmo antes de tudo e perguntar-se da maneira mais honesta possível que parcela de culpa você carrega. Uma vez essa culpa identificará, fica mais fácil propor algo ao parceiro, uma vez que você pode se comprometer a fazer o possível para deixar de agir de determinada maneira e pedir que o outro se comprometa a fazer o mesmo. Alguns desentendimentos as vezes são de responsabilidade maior, porém não única, de um dos parceiros. Nesses casos é importante se perguntar se o outro tem alguma motivação real de olhar para isso e de tentar mudar. Ainda podemos ajustar as nossas expectativas para que elas considerem as possibilidades do outro. Se ambas possibilidades falharem, precisa-se refletir se vale a pena investir no relacionamento.Uma característica que costuma gerar esse tipo de problema é o ciúme: quando patológico, ou seja aquele ciúme excessivo que não condiz com um comportamento real de traição, provocação ou desconsideração do parceiro é algo que geralmente precisa ser tratado em terapia, por ter fatores envolvidos relativos a baixa autoestima, insegurança e uma possível depressão