Entrevista Portal UOL - Redes sociais

04/09/2017

Com o advento das redes sociais e da democratização dos veículos de comunicação, vivemos hoje numa horizontalidade, não há mais um código de valores unificado que determina o certo do errado, o moral e o imoral. As redes sociais deram voz ao cidadão comum e, principalmente, aos tradicionalmente mais oprimidos que não encontravam um canal de comunicação viável dentre os outros canais até então disponíveis. Dessa forma cada um pode expressar a sua visão e interpretação de um fenômeno, multiplicando os olhares e as possíveis discórdias.

  • Jornalista Gabriela Guimarâes: Por que a gente se sente tão incomodado com comentários negativos ou agressivos aos nosso posts? É normal sentir esse incômodo?

Acredito que com a dimensão que a tecnologia ocupa hoje nas relações atuais, o valor que as pessoas colocam em seus perfis de rede social e o quanto a autoestima de muitos está ligada ao sucesso desse último resultam nessa preocupação. Uma critica ou um comentário negativo seriam um atendado direto a autoestima e a percepção de sucesso pessoal e realização. Por demais, pesquisas recentes demonstram que a mecânica das "curtidas" e "notificações" das redes sociais, intensificam os estímulos recebidos no cérebro, quando recebo uma curtida, ou vejo uma notificação, a produção de dopamina no cérebro aumenta exponencialmente, similarmente ao que ocorre com as dependências de substâncias. Assim, receber uma crítica ou um comentário negativo é o equivalente de ter o seu barato cortado.

  • Apenas a crítica - quando bem colocada - não deve incomodar? Mas incomoda? Por quê?

A crítica é um conceito de difícil assimilação em nossa cultura. No Brasil é comum acreditar que se deve agradar a todos sempre e cumprir com o papel de sociável e solícito. No entanto, essa regra é quebrada diante do certo anonimato, ou ao menos, da virtualização das relações garantidos pelas redes sociais. Da mesma forma que vemos pessoas que jamais brigariam face a face tendo discussões homéricas de trânsito protegidas e escondidas dentro de seus carros. A crítica construtiva é algo pouco elaborado na cultura brasileira, ainda se acredita que as coisas são binárias, boas ou ruins, nota boa ou nota ruim, isso se deve em parte ao fato de se levar as coisas muito ao pé da letra: a ironia por exemplo é muitas vezes mal interpretada, talvez porque ela exija uma compreensão de semiótica mais avançada e somos um pais em que a educação ainda é subdesenvolvida. Outro motivo que dificulta a boa elaboração e recepção de uma critica construtiva é quando se leva tudo para o lado pessoal e se acredita que a critica é uma agressão ou um ato invejoso e não, aquilo que ela pode ser, uma oportunidade de crescimento e de olhar para algo por outro ponto de vista.

  • Quando vale a pena ignorar uma crítica?

Vale a pena ignorar a critica claramente de má fé, que definitivamente não é construtiva e não é proferida como ponto de vista, ou interpretação pessoal dos fatos, aquela critica de quem não fez um mínimo de esforço para entender o seu lado ou o assunto em questão. Criticas categóricas e sem justificativa geralmente se encaixam nesse grupo. Também vale ignorar as criticas preconceituosas, ou simplesmente especulativas, de pessoas totalmente estranhas que escolhem criticar algo em função de um só aspecto que não lhes agrada por limitações empáticas próprias.

  • E quando vale a pena responder a uma crítica? Quais os cuidados para responder da melhor maneira?

Responder a uma critica construtiva, pode ser uma chance de acolher a fala do outro para te ajudar a crescer, pode ser uma oportunidade de assumir maturidade e olhar para algo que você ainda não tinha notado e que talvez você queira mudar. Quando a crítica não é construtiva, o cuidado é de não se deixar levar pelas emoções e parar para pensar se aquela critica é pessoal: será que essa pessoa é assim somente comigo? Será que ela não gostou de algo que EU fiz ou ela está brigando com um dragão da imaginação dela que ela está projetando em mim, algo que a incomoda pessoalmente e que não tem no fundo nada a ver comigo.

Outro cuidado: uma pergunta que se pode fazer, até para preservar-se de um gasto desnecessário de energia, é se comprar uma briga com uma pessoa anônima na internet vai realmente me fazer sentir melhor? O quanto preciso defender o meu ponto de vista diante de pessoas que possivelmente não estão ali para entender o que eu tenho para falar e tão somente querem criticar para amenizar algum sentimento negativo que estão tendo?

Quando for realmente necessário responder a uma critica pouco construtiva, procure não ser agressivo e não responder a critica com outra critica, pois isso não leva a nada. A melhor opção é reconhecer que você não pode agradar a todos e que algumas pessoas são menos polidas quando manifestam sua opinião.

  • Quando a pessoa que faz a crítica on-line é alguém com tem intimidade, é melhor chamar no privado para conversar? Ou não?

Nesses casos acredito que depende da situação, precisa-se ter o discernimento que citei anteriormente sobre a natureza da critica. Uma critica pessoal tende a demandar uma conversa privada, pois não há necessidade de você e seu amigo/familiar se exporem um ao outro na internet. Uma critica bem colocada e construtiva pode ser discutida publicamente, principalmente se ela for convidativa e assim uma oportunidade de você justificar o seu ponto de vista e de ter uma conversa enriquecedora em que outros participantes podem enriquecer o assunto com os seus pontos de vista e argumentos.

  • Discutir com as pessoas em posts pode piorar a situação e afastar outras pessoas?

Pode ser pior se você for agressivo, ou responder a critica com uma critica e/ou não se abrir para a possibilidade de acolher o olhar alheio. Outras pessoas que verem você responder a uma critica com disponibilidade de mudança e respeitando os argumentos do outro vão certamente aumentar o grau de consideração e respeito que têm por você.

  • Deletar um comentário no seu post, que você não gosta, é ok? Em quais situações? Dependendo da situação, não pode parecer que você está em uma mídia social, mas não quer conversar?

Acredito que não haja problema em deletar comentários que você julgar preconceituosos, especulativos e claramente errôneos, ou simplesmente que não acrescentam em nada. Para todas as outras criticas, para não parecer que não quer conversar, experimente se abrir para os conselhos anteriores sobre abertura para outros pontos de vista e oportunidades de crescimento.