A cachoeira e o analista

09/10/2017

Outro dia estava pensando no quão terapêutico e apaziguador pode ser o ato de contemplar uma cachoeira...


Por mais que a queda aumente a sua intensidade até graus quase destrutivos, ou que diminua de ritmo até virar um fio de água: as rochas sempre se moldarão para conter e receber as suas águas.


Num paralelo, quem faz o papel dessas rochas no processo terapêutico é o psicólogo, que recebe e acolhe a expressão do paciente, modulando a intensidade da sua presença e alterando, conforme a necessidade e a maturação do processo, a natureza do vínculo estabelecido.